Quem escreve?

Minha foto
Rio, RJ, Brazil
Moribundo SUBurbano. Estereotipado: bandido, maconheiro e marginal. Escritor, poeta e, portanto, miserável.

domingo, 19 de outubro de 2008

Quando abres teu armário
Repleto de casos falsos,
Empoeiradamente
Disfarçados de passado,
Voltas a ser o que de
Fato, gostarias de ter
Sido , sem mim, sem ninguém.
Talvez, somente contigo.

O cigarro, amiga, foi o que restou do nosso passado mal amado. Largá-lo-ei quando, enfim, largar a utopia dos que são partidários do amor.

5 comentários:

Carolina disse...

o amor ferido e raivoso ainda é melhor do que o melancólico. ou não?! sei lá, o que sei é que qualquer movimento é válido e já é fugir da inércia. :)

Frô do amor Amor[a] disse...

Vc é maravilhoso e eu, francamente, torço para seu pulmão e coração serem muito felizes e saudáveis.
Bjsss Padim !!!

Frô do Amor Amor[a] disse...

Ah! largue desse mau cheiro e a descrença ao amor. Procure, sinta, deixe entrar o verdadeiro amor... os falsos... esqueça.

Fernando disse...

o final desse ae é a sua cara xD

obs:seu esteriotipo de "bandido maconheiro marginal. Escritor, poeta e portanto, miserável."maconheiro tem cara... mas bandido marginal??
logo vc
uhauhuhehuehuehu

\o/

Marcella disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.