Quem escreve?

Minha foto
Rio, RJ, Brazil
Moribundo SUBurbano. Estereotipado: bandido, maconheiro e marginal. Escritor, poeta e, portanto, miserável.

sábado, 5 de setembro de 2009


Por mais que o amor esteja sempre ligado ao ódio, a dor e a outros substantivos não muito agradáveis. sempre dei uma chance a ele. Sempre tentei dar mais do que pude, e dessa forma fui magoando fingidamente os que foram me amando de forma verdadeira.

Continuo dando uma chance ao amor. Sempre continuarei. Embora, atualmente, mais maduro e sincero comigo mesmo, digo de peito aberto: não quero mais amar a ninguém.

(Ngamba Botero)

4 comentários:

Felipe Braga disse...

Ae, meu camarada. Esse texto diz tudo que eu sempre quis, mas não achei as palavras corretas. rs
Venho correndo aqui sempre que vejo que tem atualização. É pena que às vezes você some daqui. rs
Abraço.

Liliane disse...

Ame e esqueça o resto!

Dica disse...

E prq querer não amar alguém?
É um erro, você bem sabe disso.

Quero vê-lo amando cada dia mais e mais.. perdidamente.

Anônimo disse...

O amor ACONTECE, quando ele chegar, se chegar, não vai adiantar dizer não.

Enquanto isso, aproveita a vadiagem.